em Intercâmbio

Intercâmbio de casas para férias não é mais coisa de cinema

No filme O Amor Não Tira Férias, as protagonistas Amanda e Iris aderem ao intercâmbio de casas para férias. A primeira está em Los Angeles, nos EUA, e a última em Londres, na Inglaterra, ambas estão em busca de um refúgio longe de suas rotinas e problemas.

O filme é de 2005 e a tendência demorou um pouco para pegar fora das telonas, entre os viajantes de plantão não só ao redor do mundo como dentro do próprio país em que vivem.

A lógica por trás dessa troca é até que bem simples:

  • Você cria o perfil de sua casa em um dos tantos sites disponíveis para os interessados no intercâmbio de casas para férias;
  • Por meio de mensagens de texto você entra em contato com interessados em realizar a troca, todo o processo é intermediado por esses sites especializados;
  • Depois de acertarem todos os detalhes e acordarem os pré-requisitos e regras para haver o intercâmbio, é chegada a hora da viagem e da troca em si.

Já pensou em fazer um intercâmbio desse tipo e ainda aprender um idioma no exterior?

Saiba mais: Por que estudar inglês? Isso vai mudar minha vida?

Além de economizar com estadia, os viajantes que aderem ao intercâmbio de casas para férias têm à disposição uma estrutura domiciliar que os deixarão confortáveis e acomodados.

Milhares de casas ficam disponíveis para a troca ao redor de todo mundo e a experiência proporciona tamanha imersão cultural que hotel nenhum conseguiria oferecer.

Segurança no intercâmbio de casas para férias

É claro que em casos como esse, trocar de casa com um desconhecido, ainda que por um período breve, requer certos cuidados, uma vez que em boa parte das situações as residências ficam em países ou até continentes diferentes.

As plataformas que intermediam o intercâmbio dispõem de ferramentas para, por exemplo, verificar a veracidade de números de telefone, do endereço, e disponibiliza de equipes de apoio local que podem auxiliar com eventuais dúvidas e problemas.

Além disso, os perfis das casas costumam ser bastante detalhados, com diversas fotos e informações, uma das exigências de tais sites de intercâmbio de domicílios.

Confira também: Quais as vantagens de fazer um intercâmbio para casa de família?

Economia, porém não gasto zero

Mas, quem adere às plataformas que intermediam a troca de casas para férias e viagens esporádicas acaba tendo que arcar com o custo adicional de anunciar sua casa nelas. O valor costuma ser desembolsado por determinado período, como três, seis meses ou um ano, dependendo dos pacotes oferecidos. É uma espécie de assinatura.

Mas nesse valor estão inclusos benefícios como a verificação dos dados dos cadastrados, seguro caso haja quaisquer acidentes ou cancelamento e até mesmo um caução para assegurar os participantes desse intercâmbio de casa para férias.

Veja também: Cursos de inglês: preços que cabem no seu bolso!

Então, não se paga pelo tempo de estadia mesmo?

Essa é a grande vantagem do intercâmbio de casas para férias ao redor do país e do mundo. O ônus que você teria de alugar o quarto de um hotel ou uma casa por certa temporada passa a não existir.

Pois você “pagará” essa estadia oferecendo em troca a sua própria casa para que o viajante se hospede nela e usufrua de tudo o que há ali dentro. A era do escambo entre os feudos está de volta e em pleno século 21!

Há quem combine até mesmo deixar ambas as geladeiras das duas casas cheias de comidas típicas do lugar, para intensificar ainda mais a experiência vivida ao longo dos dias, semanas ou meses desse intercâmbio de lares.

Veja mais: Teste de maturidade: você está preparado para o intercâmbio?

Então, que achou dessa ideia de conciliar um intercâmbio de casas com um intercâmbio de idiomas no exterior?

Na dúvida de qual seria o melhor destino para este tipo de viagem? Então não perca tempo e use o nosso QUIZ online. É só responder as perguntas e descobrir um lugar maravilhoso para viajar e estudar ao mesmo tempo, veja:

Confira alguns depoimentos de quem fez intercâmbio e só tem coisas boas para contar:

EC Malta durante 3 meses de um ano sabático

Comentários

comentários