em América Latina

Mochilão na América do Sul é mais barato e pode ser surpreendente

Quando pensamos em fazer um mochilão, já associamos à América do Norte ou Europa.

Por que não pensar num mochilão na América do Sul?

Separamos alguns países com preços convidativos e inesquecíveis para iniciar um Roteiro de mochilão na América do Sul gastando pouco, usando bons hostels e restaurantes econômicos.

Aproveite seu mochilão pela América do Sul e faça um intercâmbio de espanhol!

Intercâmbio Institucional 728x90

Veja mais: Como fazer uma inesquecível viagem para América do Sul!

4 fantásticos destinos de mochilão na América do Sul, inclua em seu roteiro

1- Cusco – Peru

O Peru faz fronteira com o Brasil, seu território abrange os Andes, a Floresta Amazônica e o litoral no Oceano Pacífico.

Cusco é uma cidade seca e considerada a capital arqueológica das Américas. A ascensão e queda do Império Inca com a invasão espanhola.

As ruas da cidade são estreitas com catedrais barrocas requintadas de pedra de alvenaria criando uma mistura com o estilo andino espanhol.

A melhor maneira de conhecer Cusco é a pé, os calçadões coloridos para pedestres levam a muitas atrações da cidade.

A altitude é de mais de 11.000 pés, explorar o lugar requer muito fôlego, então é possível pegar um táxi. Os ônibus não possuem rota para todos os endereços.

Ela consegue encantar estudiosos de arqueologia, admiradores de monumentos religiosos e interessados por tradições populares.

Abrange um outro público de pessoas conectadas a natureza, colecionadores, artesãos e observadores de aves.

O Que Visitar em Cusco:

Machu Picchu

A cidade perdida dos Incas completou 100 anos de descobrimento em 2011.

Os Incas foram um povo conhecido por guardar conhecimentos avançados para a época de matemática, astronomia e acústica.

Está a 2450 metros acima do nível do mar e foi povoada em 1450 a 1540.

O parque arqueológico de Machu Picchu está repleto de templos, muros e casas.

O sol é bem forte no período da tarde, melhor ir pela manhã e com um guia, mesmo com o mapa que é entregue na recepção, porque o lugar possui muitas curiosidades.

Logo no início do passeio o visitante se depara com uma das paisagens mais conhecidas: a zona agrícola.

Em seguida a Praça dos Templos e o Templo Principal com pedras grandiosas e encaixe perfeito.

Já no final do passeio a montanha Huayna Picchu aonde o turista consegue uma linda vista da cidade se tiver disposição de subir e descer da montanha para ver todos os ângulos.

O passeio completo pode durar em torno de 4 a 5 horas, por isso o mochileiro deve levar água e lanche, porque restaurantes e lanchonetes custam caro, a visita custa em média por pessoa 39.26 dólares.

Plaza de Armas

Foi o local de fundação da cidade em 1535 e hoje é considerada o coração do centro da cidade.

A praça abriga muitos monumentos históricos como a Catedral de Cusco no estilo barroco renascentista do século XVII e o Palácio de Gobierno.

Em seu entorno há outros pontos turísticos próximos uns aos outros  como a Casa de Aliaga, Palácio Arzobispal e o Museu dos Incas.

A praça é um ponto de encontros, comemorações e demonstrações artísticas e sempre está cheio de turista.

Roteiro imperdível para um mochilão na América do Sul, porque o turista acaba conhecendo em um só lugar diversos aspectos históricos e culturais do país pagando pouquíssimo ou nada.

Vale Sagrado

É uma região nos arredores de Cusco localizado no rio Urubamba e mistura-se a vales e montanhas.

Estão concentrados na região muitos sítios com vestígios arqueológicos de santuários, como:

  • Pisaq é composto por um setor agrícola da região e possui forma de perdiz
  • Ollantaytambo é uma fortaleza que foi construída pelos espanhóis para proteção do estado Inca e o Vale Sagrado.
  • Chinchero conhecido como terra dos arco-íris, porque estão sempre presentes nesta região.

Localizado no rio Urubamba mistura-se a vales e montanhas.

Com guias o passeio dura um dia inteiro com micro ônibus e com pausas para o almoço.

Existe a possibilidade do mochileiro fazer a viagem por conta própria alugando um carro.

2- Quito – Equador

E o país mais barato para realizar seu mochilão América do Sul depois da Venezuela.

Situada a 2800 metros do nível do mar sendo a capital mais perto do sol.

Já na saída do aeroporto o turista encontra uma bela paisagem em um vale com cerca de 35 km de extensão.

Possui um centro histórico considerado pela Unesco como o maior e em melhor estado de conservação.

Rodeada por vulcões que podem ser visitados. Sua culinária é uma mistura da gastronomia espanhola e andina.

Ponto de partida usado para as Ilhas Galápagos, este sim bem menos acessível para o mochileiro que quiser economizar.

É um país que não recebe tantos turistas brasileiros como deveria, mas quem conhece e coloca em seu Roteiro de Mochilão na América do Sul o país, promete voltar.

O que visitar em Quito:

TeleferiQo

É o teleférico mais alto do planeta são 4100 metros de altitude. Lá do alto o mochileiro consegue encontrar lojas de artesanato e bares.

Torça para que o dia esteja bem claro e conseguirá ver picos nevados e o vulcão Cotopaxi.

Do ponto final ainda pode-se caminhar para mais alto e alugar cavalos para facilitar a subida.

Mitad del Mundo

No retorno ao passeio de teleférico dá para visitar o local onde passa a Linha do Equador, ao norte da cidade.

Ali poderá visitar museus, um planetário e lojas vendendo os produtos da cultura local.

Os restaurantes da culinária típica da cidade, uma sopa de milho com batatas e abacate.

La Mitad del Mundo é um monumento construído em 1736. Existe ali os cálculos que demonstram que a linha do equador passa pelo local.

No Museu Etnográfico existe os registros históricos da colonização indígena do país.

O monumento e museus abrem todos os dias com taxas pequenas e que variam pouco. O ingresso custa em geral 2.00 USD

Parque Nacional Cotopaxi

Se o seu Roteiro de Mochilão na América do Sul incluir o Equador é quase obrigatório conhecer o vulcão Cotopaxi.

É o vulcão ativo mais alto do mundo e pode ser visitado, quando não existe alerta de erupção.

Na subida a pé o oxigênio pode faltar na subida perto o cume do vulcão já a 4.810 metros de altura.

O total são 5.897 metros de altura até o cume, aos mais atléticos os tours que levam ao topo podem durar até 5 ou 6 dias.

A descida bem mais tranquila, pode ser feita de bicicleta alugadas no local. Os preços podem variar e os preços não saírem exatamente barato para seu mochilão América do Sul, mas economize em outras atividades e não descarte esse belo passeio.

3- Cartagena – Colômbia

A cidade foi fundada em 1533 a cidade é interiorana com muitos aspectos culturais e belas praias.

Possui muitas opções de lazer e vida noturna intensa com muitos bares e restaurantes gostam de apresentar ao turista a salsa e toda riqueza da música caribenha.

Pode ser visitada em qualquer época do ano, lá o tempo é quente em qualquer época do ano, a média é de 27º graus e a sensação térmica sempre mais alta.

Tome cuidado com as altas temperaturas para não incluir involuntariamente em seu Roteiro de Mochilão na América do Sul estadias em hospitais.

O pôr do sol é sempre lindo nesta cidade de ruas pequenas e estreitas com cenários românticos.

O que visitar em Cartagena:

Castelo de San Filipe de Barajas

Construído em 1536 e 1657, a fortaleza é considerada a maior construção feita pelos espanhóis.

Tinha a função de proteger Cartagena de ataques estrangeiros.

Dentro é cheia de quartos, labirintos, corredores e túneis pensado como estratégia para atacar os possíveis inimigos.

Os melhores horários são no período da manhã ou no final da tarde onde se aproveita o belo pôr do sol.

Arquipélago de Rosário

São várias ilhas e fica a cerca de uma hora de barco do Centro.

O turista pode aproveitar as praias de águas cristalinas com direito a aulas de mergulho e um passeio pelas 27 ilhas do arquipélago de barco.

Algumas ilhas possuem estrutura de hotéis, mas outras são inexploradas contendo vilarejos e habitada por pescadores.

4- Montevideo – Uruguai

Montevideo é uma cidade calma onde os turistas que vão ao Uruguai podem passear pela cidade velha.

Foi fundada pelo governador de Buenos Aires, Bruno Maurício de Zabala. Era a princípio uma cidade de guarnição espanhola.

O comércio cresceu no período colonial o que facilitou sua independência.

De 1807 a 1830 foi ocupado por forças britânicas, espanholas, argentinas, portuguesas e brasileiras.

Independente desde 1830 só começou a florescer como país, após as forças francesas e inglesas bloquearem Buenos Aires e tornar-se o principal porto do Rio da Prata.

O porto é o centro do transporte internacional da cidade. Também é servido por um aeroporto internacional em Carrasco. Quatro ferrovias convergem para a cidade e as estradas levam a outras cidades principais.

Montevidéu possui teatros históricos como a Casa de Comédias foi inaugurada em 1795, Teatro San Felipe e o Teatro Solís, inaugurado em 1856.

A cidade também abriga o Museu Histórico Nacional  de 1900, o Museu Nacional de História Natural de 1837, o Museu Nacional de Belas Artes de 1911 e a Biblioteca Nacional de Belas Artes de 1816

Possui diversos parques como o  Batlle y Ordóñez, sede do estádio de futebol.

E praias que se estendem até Punta del Este, no Oceano Atlântico.

É repleta de turistas da região Sul do Brasil e argentinos,  quem faz um mochilão na América do Sul, não pode esquecer de colocar em seu roteiro este país.

Veja mais: Turismo em Montevideo, uma viagem inesquecível

O que visitar em Montevideo:

Mercado do Porto

Lugar símbolo de Montevidéu e planejado para atender bem o turista com muitos restaurantes, que servem pratos típicos e boa carne em churrasqueiras à base de lenha e lojas de lembranças.

Em baixa temporada em alguns dias e horários o mercado fica fechado.

Foi inaugurado a 10 de outubro de 1868 e conserva a aparência de uma estação ferroviária antiga.

Suas estruturas de ferro construídas na Inglaterra, em Liverpool e possui um relógio central centenário.

Rambla

São mais de 20 km ao longo da costa de avenidas litorâneas de Montevideo às margens do Rio de la Prata.

Ramblas se refere a todas as vias à beira-mar na costa do Uruguai. Cada uma delas possui um nome próprio.

O passeio pode ser feito a pé, de carro, ônibus ou bicicleta. Possui prédios antigos junto a construções novas e modernas.

E, muitas praias ao longo de todo o percurso.

Parque Rodó

Seu nome é uma homenagem ao escritor uruguaio José Enrique Rodó.

É uma das principais áreas de lazer da cidade com áreas verdes e muitos monumentos, estátuas, fontes e um lago.

Possui dentro dele, muitas áreas de lazer como parque de diversões, castelo, campo de futebol, golfe, anfiteatros e o Casino Municipal.

Acontece nas manhãs de domingo uma feira de artesanato na região central e muitas exposições a céu aberto.

O passeio ficará mais interessante de bicicleta, patins ou mesmo a pé.

Ali o mochileiro vai encontrar uma roda de amigos tocando violão, tomando mate e pessoas caminhando, se exercitando ou fazendo acrobacias à espera do pôr do sol para deixar o lugar.

Já escolheu seu roteiro de mochilão na América do Sul?

Os preços para um mochilão na América do Sul são bem mais baixos do que na América do Norte e Europa.

Um outro destino interessante é a Argentina, vaja um pouco mais sobre este país aqui: Argentina

Para quem gosta de viajar, as sugestões que passamos trarão grandes recordações, sem arrependimentos e com muita economia.

E se você quiser incluir um intercâmbio em seu roteiro, baixe nosso e-book gratuito:

Veja mais dicas sobre a América do Sul:

Comentários

comentários