em Intercâmbio

As diferenças entre o espanhol dos países da América Latina

O espanhol é uma língua frequentemente escolhida pelos brasileiros pela semelhança com o português. Aprender uma segunda língua como o espanhol tem como benefício imediato o enriquecimento do currículo, além de facilitar um possível intercâmbio em um país de língua espanhola. Embora o intercâmbio possa ser para o estudo da língua, ter conhecimentos prévios sobre ela ajuda no dia a dia.

Mas você sabia que, assim como o português de Portugal para o português do Brasil, cada país de língua espanhola guarda particularidades no idioma? E as diferenças vão além do espanhol da Europa com o espanhol da América Latina. Enquanto o espanhol falado na Europa é conhecido como espanhol europeu, o falado em países da América Latina é conhecido como espanhol latino. E a diferença é semelhante a que existe entre o inglês americano e o britânico: embora pessoas dos dois países consigam se comunicar, nota-se uma diferença.

Na América do Sul, há o costume de chamar a língua de castelhano, já que o termo “espanhol” remete à colonização. Apesar de muitas semelhanças, o espanhol da América Latina apresenta diversas variações de expressões, gírias e ortografias. Confira algumas diferenças entre o espanhol de países da América Latina.

Em termos lexicais:

  • Feijão: porotos (Argentina), frijoles (demais países da América Latina).
  • Papai Noel: Papá Noel (Colômbia), Santa Claus (México e América Central), Viejito Pascuero (Chile).
  • Caneta: Birome (Uruguai e Argentina), pluma (demais países).
  • Pipoca: Rositas (Cuba), pipoca (Bolívia), pó (Uruguai), cabritas (Chile), cotufa (Venezuela), canchita ou popcor (Peru), crispetas (Colômbia), pochoclo (Argentina), palomitas (México).
  • Calçada: Banqueta (México), vereda (Argentina).
  • Ônibus: Colectivo (Argentina), liebre (Chile), camión (México), guagua (Cuba).

Na área fonética, há algumas pequenas diferenças. Se comparado ao espanhol da Espanha, por exemplo, palavras com as letras “LL” são pronunciadas como o “LH” brasileiro, enquanto no Chile, Argentina e Uruguai a pronuncia muda para o som de “J”. O prato paella, por exemplo, se pronuncia “paelha” na Espanha”, “paeja” na Argentina e “paedja” no restante da América Latina.

As principais diferenças entre o espanhol de cada país está na entonação das palavras, além de modismos característicos de cada região. Para uma classificação melhor, pode-se dividir o espanhol em 3 ou 4 correntes bem diferentes entre si. Ainda assim, há muitas diferenças dentro de cada uma delas.

As correntes são: o espanhol falado no Uruguai e Argentina (e uma parte do Chile), o espanhol do México e da América Central, o espanhol do restante da América do Sul e, claro, o espanhol da Espanha. Mesmo com algumas diferenças de vocabulário e pronúncia, quem aprende o espanhol da Argentina consegue se comunicar tranquilamente com alguém do México, por exemplo.

Por isso, na hora de escolher um país de língua espanhola para fazer um intercâmbio, você pode optar pela cultura que mais lhe agrada e o aprendizado do idioma será um ganho certo para possíveis viagens para os demais países espanhóis.

Você já conhecia todas essas diferenças? Qual é o espanhol que mais agrada aos seus ouvidos? Conte para a gente nos comentários!

Comentários

comentários