em Intercâmbio

7 pecados de um intercambista

Errar é humano. Mas quase todos os erros são evitáveis, certo? Em um intercâmbio (antes e durante), alguns comportamentos podem atrapalhar seu aprendizado e a temporada no exterior. Pior: provavelmente, você só perceberá o estrago quando já estiver de volta. Por isso, ajudamos você e listamos: os 7 pecados mais comuns de um intercambista.

 #1 → Não contratar uma agência especializada:

“O barato pode sair caro.” Já ouviu? E é verdade. Tentar resolver tudo sozinho, com base apenas em informações de terceiros e da internet, é um risco enorme, sem falar na dor de cabeça e no tempo perdido. Ao escolher uma agência, certifique-se de que ela seja especializada em estudos no exterior – e não somente em viagens – e que vai te dar todo o suporte necessário, sem deixar de lado questões como seguros de vida ou saúde. Isso faz toda a diferença.

#2 → Não se planejar:

A falta de planejamento gera decisões impulsivas que nem sempre são as melhores. Você precisa de alguns meses para se organizar, pesquisar empresas e destinos e fazer escolhas. Além disso, é fundamental um planejamento financeiro que permita uma estadia minimamente confortável no período longe de casa. Durante o intercâmbio, seja razoável nas compras e equilibre os gastos.

#3 → Confundir “intercâmbio” com “turismo”:

Pode até ser uma confusão prazerosa, mas se o objetivo é estudar no exterior, não perca o foco (e nem as aulas!). Evite faltar e sempre prefira viajar aos fins de semana. E lembre-se: não existem atalhos no processo de aprendizagem. Se quer realmente colher bons resultados, prepare-se para se esforçar e suar a camisa!

#4 → Não se ‘desligar’ de casa:

Peraí, ninguém está falando para você esquecer que tem mãe, pai, irmãos, namorado(a). A saudade vai apertar, mas não viva em outro país com a cabeça em casa: “O que eles estão fazendo? Por que não me mandaram e-mail hoje? A que horas vão entrar no Skype? Será que deram comida pro cachorro?” CALMA. Combine alguns horários específicos para telefonar, dê notícias, mas não tente controlar tudo à distância. Aproveite o tempo livre que tem também para estudar e se divertir. Essa “imersão” é necessária!

#5 → Grudar em brasileiros:

Eles estão por toda a parte. E cá entre nós, é um alívio poder falar português, conversar sobre pão de queijo, futebol, arroz e feijão e todas aquelas coisas que só um brasileiro de verdade entende. Mas não limite seu ciclo de amizades a brasileiros e mantenha-se próximo a pessoas de outros países. Uma boa ideia é morar em casa de família ou dividir um apartamento com estrangeiros. Assim, você terá contato diário com outras culturas e vai poder soltar a língua de vez!

#6 → Não se interessar pela cultura local:

Em um intercâmbio no Canadá, por exemplo, você pode conhecer vários coreanos e aprender tudo sobre a Coréia – o que também é ótimo! Mas não deixe de vivenciar a cultura local e aprender com ela. Converse com os moradores da cidade e vivencie a atmosfera local: hábitos, comidas, histórias, lugarzinhos menos turísticos… Você vai se surpreender com as descobertas.

#7 → Manter-se inflexível:

Não existe intercâmbio sem o tal “jogo de cintura”. Quem embarca nessa experiência de corpo e alma, deve se livrar de preconceitos e deixar as frescuras para trás. Por isso, esteja pronto para experimentar comidas (nada de sobreviver a base de fast foods!), conviver com pessoas diferentes, conhecer outras tradições e hábitos. E mais do que isso: encare essa diversidade com bom humor e entenda que ela é a principal responsável pelo seu crescimento.


Bom, agora você já está avisado sobre o que deve evitar fazer. Seja esperto, saiba aproveitar a oportunidade e faça valer cada centavo do seu intercâmbio! Ah, o primeiro item da lista é por nossa conta e já está garantido. Faça seu intercâmbio com a Descubra o Mundo.

mochila

Comentários

comentários

  1. Tirando o item nº1, gostei bastante do texto. Acho que muita gente tem sim, a capacidade de se virar sozinho. Eu fui para Vancouver sem auxílio de nenhum profissional, só utilizei a agência para a compra da passagem aérea, pois depois de pesquisar bastante, consegui um preço menor com uma delas. E é isso aê!!

  2. Oi Bábara, tudo bem? Obrigado pelo seu comentário e pela participação.

    Ficamos felizes em saber que tenha gostado do post e que já fez um intercâmbio por conta própria e que deu tudo certo.

    Em qual escola você estudou em Vancouver? O que achou da cidade? Vancouver é uma cidade incrível não é mesmo?! ;)

    Grande abraço,
    Equipe DMI

  3. Ops.. só agora eu vi o comentário aqui :D
    Sim, sim.. Vancouver é incrível!! por este motivo eu sonho quase todas as noites que estou voltando..rsrsere.. e espero poder juntar minha “sacolinha” e agarrar o Canadá de vez…. muito em breve.
    Cheguei em Van com ZERO de inglês, estudei 4 meses na WTC (nesta semana,vi que mudou de nome) fica alí.. bem no meio da Granville St… depois fiquei mais uns meses, praticando a língua enquanto patinava pelos parques e afins :D

  4. Oi Bárbara, obrigado pelo seu retorno.

    Que legal, o a WTC Vancouver é a Cornerstone Vancouver, eles foram comprados pela Loyalist Group, que é dono das escolas: KGIC, SEC, Cornerstone e PGIC, etc.

    E como foi sua experiência na WTC / Cornerstone Vancouver? Você gostou da escola? Nós trabalhamos com eles também e ela é uma escola Smart (ótimo custo x benefícios), todos os nossos alunos adoram ela!

    Quando quiser voltar pro Canadá, entre em contato com a gente, tenho certeza que você não vai encontrar nenhum preço igual ao nosso e ainda um atendimento super personalizado e diferenciado. Te garanto que vai sair bem mais barato do que se comprar direto com a escola. =)

    Obrigado pela participação em nosso blog.

    Grande abraço,
    Equipe DMI

  5. Olá,
    Adorei meu tempo lá! Realmente é uma excelente opção custo X benefício. Os professores são maravilhosos, o único problema mesmo, é o público… há uma invasão de Koreanos e Brasileiros ou seja, isso complica um pouquinho… dificilmente você encontra pessoas de outras áreas, salvo um ou outro “árabe”.

    Abraços.

  6. Oi Bárbara,

    Mais uma vez obrigado pelo seu comentário!

    No Canadá de uma maneira geral, grande parte das cidades e escolas, inclusive a Cornerstone Vancouver, tem um alto índice de coreanos, pois é eles tem incentivo do governo para ir estudar no exterior e o Canadá é um dos destinos mais “próximos” da Coréia.

    Já os brasileiros estão por todas as partes! Rs… Por isso nós sempre listamos o percentual de brasileiros em cada escolas, assim nossos intercambistas antes mesmo de viajar já tem uma noção do percentual que vão encontrar.

    Grande abraço e obrigado pela participação e pelos seus comentários! ;)

    Equipe DMI

  7. Oi, Bárbara.
    Uma agência especializada “encurta” alguns caminhos e facilita bastante a vida de quem quer viajar… Vc tem razão: é possível fazer um intercâmbio por conta própria. Mas exige mais cuidado, organização e tempo. Que bom que deu tudo certo na sua viagem! Vancouver realmente é demais!

    Já planejou o próximo intercâmbio? :)

  8. O próximo passo é emigrar!! Quero muito voltar ao Canadá e agora é para ficar!! Já estou dando meus passos neste longo processo.