em Dicas

Perdi o passaporte no intercâmbio. E agora?

A situação de perda ou roubo de documentos é algo que todos nós estamos sujeitos e podemos vivenciar um dia. Mas o fato é: saem melhor de uma experiência ruim aqueles que estão bem informados e mais antenados. Por isso, preste atenção nesse post e saiba exatamente como proceder se o seu passaporte sumir durante o intercâmbio.

Para ficar mais claro, dividimos essa experiência em fases:

1. Certificando-se do sumiço

Você já procurou MESMO? Não esqueceu com algum amigo? Não deixou em outra bolsa/mochila? Já telefonou ou foi pessoalmente a todos os últimos lugares que esteve com ele? Apesar de parecer desnecessário essas perguntas, acredite: muita gente por aí se desespera antes de realmente ter certeza que o documento sumiu. Então, antes do pânico, respire fundo e realmente procure!

2. Constantando a perda

Esse é o momento do “F*#@! Perdi o passaporte!”. Depois de procurar e procurar, chega a hora da constatação, quando a barriga gela, o coração palpita e as bochechas esquentam. Bom, a dica aqui é: xingue, extravase, fique pê da vida… Você tem o direito. Mas faça um esforço para essa fase durar o mínimo possível. Quanto antes você passar para as próximas etapas, mais rápido o problema será resolvido.

3. Agindo para resolver

O passaporte é o seu RG no mundo. Ficar sem ele é impossível. Então é hora de agir! Siga a ordem:

  • Procure a polícia local e peça orientação quanto ao procedimento para registro de um ‘BO’ (boletim de ocorrência). Pelo mundo, esse documento tem outros nomes, mas a função é a mesma: oficializar a perda/roubo de um documento;
  • Tire cópias do ‘BO’. O documento provavelmente será pedido mais de uma vez;
  • Vá até o Consulado ou Embaixada do Brasil com o ‘BO’ em mãos e, de preferência, com uma cópia do passaporte ou uma versão digitalizada dele (CLAAAARO que você terá isso porque foi uma pessoa precavida e leu nossas orientações neste blog!). Se você estiver em uma cidade sem representação brasileira, prepare-se para ir até a capital ou cidade grande mais próxima. O site do Itamaraty fornece uma lista das representações brasileiras no exterior e os respectivos telefones de contato para emergências;
  • Atente-se às orientações com relação ao procedimento (isso pode variar de país para país);
  • Pague: sim! Nada é de graça! O valor para a emissão de um novo passaporte no exterior é, geralmente, o dobro do cobrado  para tirar outro passaporte no Brasil (hoje, R$ 156,07). Ou seja, a conta vai ficar pouco mais de R$ 350 + taxas)

Pronto. Agora é só esperar! O tempo de emissão é variável de acordo com a época do ano, a procura e a urgência do cidadão. Mas, de forma geral, esse não costuma ser um procedimento demorado mundo afora.

Fim do perrengue, hora da reflexão:

Como NÃO passar mais por isso?

Tire cópias do passaporte e evite andar com ele em momentos desnecessários. No dia a dia, para ir à aula ou ao shopping, por exemplo, uma carteirinha estudantil internacional ou até mesmo a cópia do documento é o suficiente por questões básicas de identificação e segurança. Durante viagens ou durante à noite (para entrar em baladas), se realmente for preciso a apresentação do documento original, guarde-o sempre em uma “doleira” (aquela polchete interna também chamada de money belt). Não arrisque levar o passaporte na bolsa e muito menos no bolso da calça. Na sua acomodação, certifique-se de que ele ficará guardado em um local seguro que só você tem acesso.

passaporte_money_belt

___

Dicas dadas e intercambistas espertos. Lembre-se: você não será o primeiro, nem o último a passar por isso. Não há motivos para desespero, mas, se acontecer, que sirva como aprendizado. Agora aproveite o intercâmbioDescubra o Mundo.

Neste post você encontra informações sobre como tirar o passaporte antes de viajar. Ainda ficou com dúvidas em relação à documentação? Conte com a equipe DMI!

Comentários

comentários