em Depoimentos Intercâmbio (Eu Fui)

Curso intensivo de italiano em Florença

Quer fazer intercâmbio, mas não necessariamente para estudar inglês? Tudo bem! Existem vários destinos incríveis para quem quer estudar outras línguas! A Isabela Romancini, 21, aproveitou as férias para investir em um curso intensivo de italiano durante duas semanas. Nas outras duas, ela viajou para cidades da Itália e aproveitou muito o tempo no exterior! Assista nossa conversa:

Como era seu italiano antes do intercâmbio?

I: Eu não falava tanto a língua. No Brasil, fiz um curso de seis meses para aprender o básico. Além de gostar do idioma, eu estou passando por um processo de regularizar a cidadania italiana. Então, para mim é muito importante saber o idioma.

Fiquei apenas duas semanas fazendo o curso intensivo de italiano porque estava de férias da faculdade e era um período livre que eu tinha. Não queria ficar o mês inteiro só estudando. Então fiquei 2 semanas estudando, e outras 2 semanas viajando.

Dilit International House Roma, a escola

Por que decidiu fazer curso intensivo de inglês em Florença?

I: Além de Milão e Roma, Florença é uma das cidades onde há opções de curso de italiano. Eu me senti mais confortável com o tamanho da cidade. São 300 mil habitantes. Não é uma cidade grande, mas também não é tão pequena. Tudo é muito perto, a cidade é muito segura e conheci pessoas ótimas.

Curso intensivo de italiano
Foto: Isabela Romancini/Arquivo Pessoal
Depoimento: Relatos de um intercâmbio na Europa (Malta e Roma)

O que achou da escola Linguaviva Florença?

I: A Linguaviva Florença é bem perto da estação central de trem. Tem ônibus próximos e é perto do centro. Dá para ir andando para qualquer ligar. Como fiz o curso intensivo de italiano, tinha aulas de manhã e à tarde (que tinha foco em conversação). Foi muito importante para mim estudar nesses dois períodos. No final, estava falando com muito mais tranquilidade e conseguia desenvolver conversas.

A aula da manhã era das 9h às 12h30; e à tarde, começava às 13h30 e ia até 14h45. Era bastante tempo, mas ao mesmo tempo, não era pesado. Depois da aula, ia conhecer a cidade ou fazer algo com o pessoal da escola.

Qual era o perfil dos intercambistas da Linguaviva Florença?

I: Como janeiro é época de férias no Brasil, encontrei muitos brasileiros durante o curso intensivo de italiano na Linguaviva Florença. Eram pessoas de diferentes partes do país, então também foi ótimo. A maioria dos alunos tinha entre 17 e 25 anos. Mas, também encontrei ingleses, australianos, suecos.

9 filmes gravados na Itália que você tem que assistir

Como estava o clima em Florença em janeiro?

I: Durante meu curso intensivo de italiano em Florença, estava friozinho, entre 2 e 10ºC (às vezes menos, mas não nevou). Nessa temperatura não precisei usar tantas roupas especiais e consegui me virar bem.

Como foi se hospedar em uma casa de família italiana?

I: Fiquei hospedada na casa de um casal de aproximadamente 55 anos. Gostei muito porque desde o início tive que me esforçar para falar italiano. Eles eram muito pacientes, acolhedores e me ajudavam nas minhas dúvidas. Fiquei num quarto individual. Tinha horários certinhos para comer e sair. Eles pediam sempre para eu avisar onde estava e que horas voltaria. Tenho 21 anos e poderia escolher ficar em residência estudantil, por exemplo. Eu perdi um pouco de liberdade, mas ganhei em cultura e prática do idioma.

Eu ia da casa à escola Linguaviva Florença andando por cerca de 40 minutos. Como o ônibus era muito cheio nesse horário, eu preferia sair de casa mais cedo e ir andando. Como a cidade é plana, não era tão cansativo.

Casa de família em Florença
Foto: Isabela Romancini/Arquivo Pessoal

Como é o custo de vida em Florença?

I: Gastava 7, 8 euros para almoçar em lugares simples. Considero barato comparado a outras cidades italianas. Comprava também lanches no supermercado, deixava em casa, e comia ao longo do dia. O café da manhã estava incluso e era oferecido lá na casa. Com isso, o custo de vida em Florença não ficava caro porque consegui economizar com alimentação.

Como foram suas viagens pela Itália?

I: Cheguei na Itália em dezembro. Viajei uns dias antes de começar o curso, e uns dias depois. Além de Florença, conheci Roma, Nápoles, Pisa, Lucca, Cinque Terre, Milão, Veneza, Como. Viajei de trem para todos os lugares e foi muito tranquilo de viajar.

Curso intensivo de italiano – Cinque Terre
Foto: Isabela Romancini/Arquivo Pessoal
Quais são os melhores países da Europa? Corra conhecer!

Como você chegou até a Descubra o Mundo?

I: Minha mãe tinha uma amiga que fez o intercâmbio para Malta com a Descubra o Mundo. Eu pesquisei algumas agências na internet, mas optei pela Descubra o Mundo porque senti confiança. Foi assim que conheci. Apesar de o contato ser virtual, isso não tirou minha confiança. O contato foi sempre por e-mail e telefone. Foi um estranhamento inicial, mas nunca chegou a ser um problema. E gostei muito de toda a experiência.

Quais são suas dicas para quem quer fazer um intercâmbio na Itália?

I: Recomendo o curso intensivo de italiano porque foi lá que eu realmente soltei a língua. A casa de família é uma ótima opção também porque praticava bastante o idioma em outros horários. Minha recomendação para futuros intercambistas é não se sentir “cansado”… Para aproveitar ao máximo a cidade e os lugares próximos. E também que não tenham medo de viajar sozinho. É uma oportunidade muito grande!


Ficou afim de explorar outras possibilidades de intercâmbio, além dos países de língua inglesa? Procure o pessoal da Descubra o Mundo que indicará os melhores destinos para você! Descubra a Itália.

Comentários

comentários