em Depoimentos Intercâmbio (Eu Fui)

Dicas de Cape Town: intercâmbio apaixonante na escola EC!

A Maria Ioná de Souza, 23 anos, de São Paulo (SP), decidiu que era hora de investir em si mesma: deixou de lado a ideia de comprar um carro e optou por um intercâmbio na África do Sul, na EC Cape Town. Neste post ela trouxe milhões de dicas de Cape Town e vários toques interessantes! Não deixe de ler!!

Por que decidiu fazer um intercâmbio?

Precisava aperfeiçoar o inglês, que é importante para minha carreira e ainda mais para mim (pessoalmente falando). Além disso, eu precisava de novas experiências. Eu tinha minhas reservas financeiras e, acreditem, estava prestes a investir num carro. Mas, pensei bem e por influência de alguns amigos e da minha irmã, cheguei à conclusão de que um intercâmbio em Cape Town era o melhor investimento que poderia fazer nessa etapa da minha vida.

Depoimento: Dicas Cape Town – Intercâmbio de 2 meses
Dicas de Cape Town – intercâmbio
Foto: Maria Ioná Souza/Arquivo Pessoal

Por que escolheu fazer intercâmbio na África do Sul?

Quando pequena, meu sonho era ajudar pessoas na África. O tempo foi passando, fui crescendo e via o meu sonho se distanciar pelo fato de não ter o inglês avançado – indispensável para determinados trabalhos voluntários.

Foi então que comecei a pesquisar sobre intercâmbio, me interessei por outros países como Malta e Trinidad e Tobago, mas no fim a África do Sul me escolheu. Claro que o custo-benefício era melhor que em outros países, sem falar nas paisagens e em tudo que eu poderia fazer. Quando via as fotos me encantava e o meu desejo era estar ali. Ah, e no fim das contas acabei participando de um trabalho voluntário. Valeu a pena.

Intercâmbio África do Sul: preços para todos os bolsos

Dicas de Cape Town: como foi a hospedagem em hostel?

Fiquei no hostel Never at Home (hostel parceiro da Descubra o Mundo): um lugar incrível e aconchegante.

Vivi algumas situações que só acontecem em hostel, mas foram necessárias e indico fortemente. Dividia meu quarto com mais sete pessoas que, durante minha estadia, se “multiplicaram”, pois todos os dias um ia embora e outro chegava. Assim, pude conhecer muitas pessoas de vários lugares do mundo, sem precisar sair do meu quarto.

Não posso deixar de citar que o hostel é muito bem localizada e perto de tudo, inclusive de um parque imenso e lindo, o Green Point Park, onde fazia minhas caminhadas matinais.

Veja também: 6 ótimas razões para você fazer um intercâmbio na África do Sul

Qual era a distância do hostel até a escola?

Levava em torno de 30 minutos do hostel à escola EC Cape Town. Todos os dias fazia esse percurso a pé (de vez em quando pagava Uber, principalmente quando as aulas eram à tarde ou quando eu estava muito cansada).

Intercâmbio em Cape Town
Foto: Maria Ioná Souza/Arquivo Pessoal

Dicas de Cape Town: cite pontos positivos e negativos da cidade.

Dicas de Cape Town – pontos negativos:

Ainda no aeroporto Johannesburg, onde tive que fazer conexão para Cape Town, estava completamente perdida. Pedi ajuda para um guarda, que me levou a um homem. Esse homem rapidamente pegou minha mala e saiu disparado na minha frente pedindo apenas que o seguisse e, assim eu fiz – afinal, precisava de ajuda. Andamos um pouco e já perto do guichê para fazer o check-in, esse senhor me pede 50 rands. Eu só pedi uma informação e não sabia que aquilo era “um serviço”;  pensei apenas que ele estava sendo gentil e me enganei. O que eu fiz? NADA. Disse apenas: “I don’t have money here” (e eu não tinha mesmo). Ele então, falou umas coisas que não entendi e saiu furioso. Portanto, preste atenção com a boa vontade das pessoas, principalmente nos aeroportos.

Tive muitas dores de cabeça com Uber: uma hora a corrida não era finalizada pelo motorista; em outros casos alguns trocavam a rota do aplicativo para seguir outra e mais distante; sem falar que muitos não tinham troco. Enfim, tudo para lucrar mais. Alguns motoristas aceitavam a corrida e ficavam parados no mesmo lugar para que os usuários cancelassem a corrida. Não eram todos, mas mesmo assim, fique atento.

Um ponto desagradável que chegava a ser um incomodo eram os pedintes. Eles ganham alguns trocados pela insistência. Numa ocasião, estava com amigos e um pedinte se aproximou pedindo para ver a carteira do meu amigo, nessa hora que percebemos como eles “atacam”. Não dê brecha.

Dicas de Cape Town – pontos positivos:

Se você gosta de doces, tem que passar pela Brownies & Downies, lanchonete especializada em brownies divinos! Fica perto da EC Cape Town.

Que tal conhecer um parque que dá acesso a alguns museus da África do Sul? Estou falando do The Company’s Garden Park – imenso e o guardo na memória com muito carinho!

Eu aprendi a gostar de futebol e me encantei pelo Cape Town Stadium, onde é possível fazer um tour. A visita sai por 40 rands e ainda pude assistir a uma partida de futebol que sai 60 rands.

Saiba mais: 10 curiosidades sobre a África do Sul para quem quer fazer intercâmbio

O que achou do custo de vida em Cape Town?

O custo de vida em Cape Town equivale ao do Brasil – claro, com exceções para mais e para menos.

Costumávamos ir, eu e meus amigos, na Waterfront, que é um lindo conglomerado de lojas. Porém, os preços faziam jus ao lugar, que é um ponto turístico. No McDonald’s de lá comíamos bem com valores bem mais em conta do que os do Brasil.

O restaurante Café Mojo era nosso point: comíamos bem e barato durante a semana, e a comida lembrava muito a brasileira, apesar de os donos serem portugueses. Um lugar “de todos e de tudo” era o Food Lovers Market: tem de tudo por lá e o preço é muito acessível.

Voltar para o Brasil de mãos vazias é impossível. Por isso, indico fortemente uma lojinha de souvenires chamada Martin’s African Art, localizada numa galeria da Long Street n°144. Vá e procure pelo Martin – um africano que adora brasileiros e dá desconto para nós!

Dicas de Cape Town – Martin’s African Art
Foto: Maria Ioná Souza/Arquivo Pessoal

Como é a vida noturna em Cape Town?

A Long Street é um convite para diversão, tem de tudo por lá.

O point dos intercambistas é a Beerhouse: é uma casa da cervejas. No menu existe uma boa opção para degustar os diferente sabores de cervejas. Faça esse pedido junto de amigos, pois é impossível tomar tudo sozinho. Depois de um certo horário, o DJ começa a tocar e logo uma pista de dança é formada. Minha experiência por lá não foi das melhores, mas mesmo assim recomendo.

Já o The Village Idiot, é tipo um barzinho muito bacana, com um excelente atendimento, gente bonita e bons petiscos para degustar. Vale muito a pena conhecer!

Quem prefere uma noite calma, com experiências novas e uma boa comida, recomendo o The Africa Cafe. Logo na entrada somos imersos na cultura africana e levados à mesa onde nos servem primeiro as bebidas. Depois, ali mesmo na mesa, lavam nossas mãos e em seguida nosso jantar é servido. A moça que nos atendeu foi e veio umas quatro vezes com  diversos pratos típicos – uma delícia! Durante o jantar, pintam nossos rostos e um coral muito afinado aparece, finalizando a noite com chave de ouro. É FANTÁSTICO!

Dicas Cape Town: o que você costumava fazer no seu tempo livre?

Estar na África do Sul foi algo único e, por isso, fiz questão de fazer tudo que queria e podia.

Dicas de Cape Town – passeios que podem ser feitos durante a semana:

  • Two Oceans Aquarium – Lugar bacana, tem um grande aquário e muita variedade de espécies marinhas. A entrada custa 150 rands;
  • Bo-Kaap – Nesse lugar existe uma grande concentração de casas coloridas e juntas formam um charmoso e alegre bairro. Ótimo lugar para boas fotos. Sem custo;
  • Kirstenbosch National Botanical Garden – É um imenso jardim botânico ao ar livre, tem muito verde e uma rica variedade de flores. É lindo! A entrada custa 80 rands;
  • Robben Island – É o símbolo do Apartheid e é onde Nelnson Mandela passou 18 anos de sua vida. Prefira a visita no horário das  15h – assim, na volta, é possível apreciar um belíssimo pôr do sol. Um show da natureza! A entrada custa 320 rands;

Dicas de Cape Town – passeios aos fins de semana:

  • Signal Hill – De onde é possível admirar um pôr do sol dos mais incríveis! Vá, leve amigos e faça um piquenique. Não se esqueça de um bom vinho. Sem custo;
  • Table Mountain National Park – Para os aventureiros: que tal uma trilha de 4 horas para subir e mais 4 horas para voltar? Além dessa opção, você pode subir essa gigante montanha de teleférico também. É um dos principais pontos turístico da África do Sul. Dica: Leve agasalho, veja a previsão do tempo e não se esqueça de que lá é muito alto! O teleférico custa 255 rands;
  • Lion’s Head Peaks – Diferente da Table Mountain para subir, na Lion’s só existe a opção de uma trilha de muitas horas. Valeu a pena subir 669 metros, pois fomos recepcionados por um mirante de tirar o fôlego. Dica: Leve água. Passeio sem custo;
  • Wally’s Cave – Antes de chegar ao topo da Lion’s, cortamos caminho e fomos conhecer a caverna mais famosa e linda da África. Belíssimas fotos com um fundo espetacular da Table Mountain. Sem custo;
  • Cape Point Explorer: em um dia só conhecemos três destinos muito procurados na África do Sul nesse passeio: Boulders Beach, a praia dos pinguins que é um espetáculo; Cape Point, que tem uma vista linda; e Cape of Good Hope, o Cabo da Boa Esperança, onde tem a famosa “plaquinha” que todos querem registrar uma foto. Custou 555 rands;

Existem diversas formas de conhecer Cape Town, África do Sul: a pé, de Uber ou fazendo o City Tour.

Fora de Cape Town estive em lugares magníficos:

  •  Inverdoorn: um bom safári que atingiu minhas expectativas. O valor foi de 2750 rands;
  • Knysna, o Santuário dos Elefantes: local mágico e aqueles animais são espetaculares. A entrada foi de 245 rands;
Knysna, África do Sul
Foto: Maria Ioná Souza/Arquivo Pessoal

O que mais gostei agora? De saltar de um bungee jump de 216 metros. Muita adrenalina e um pouquinho de medo! O negocio é tão bom que dá vontade de pular várias vezes. O valor do ingresso é de 950 rands.

Salto de bungee jump na África do Sul
Foto: Maria Ioná Souza/Arquivo Pessoal
Roteiro África do Sul: aventura, vinhos e belezas naturais

Como estava o clima em Cape Town?

O clima de Cape Town é muito parecido com o nosso brasileiro. Mas, na empolgação da viagem, não me atentei ao frio que lá fazia, pois é uma região montanhosa. Montei a mala e não coloquei agasalhos suficientes. Por isso, passei frio e tive que comprar alguns por lá.

Depoimento: Trabalho voluntário na África e curso de inglês

O que achou da escola EC Cape Town?

Minhas aulas eram alternadas durante a semana: um dia começava pela manhã, em outro, à tarde. A escola é bem localizada, tem ótima infraestrutura e professores muito atenciosos. É um local bem aconchegante, tinha uma recepção bem clean, com vários sofás e almofadas.

Gostei da professora que tive na EC Cape Town, a Tamy: uma pessoa fantástica. A EC organizava o Projeto Raimbow, que me deu a oportunidade de participar de uma ação em comunidades. Foi lá que conheci o litter boy e me apaixonei pela pelo jeito de ser das crianças da África do Sul.

Depoimento: EU FUI: Curso de inglês na EC Cape Town

Qual é o perfil dos alunos na EC Cape Town?

Na EC Cape Town, tinha pessoas de todos jeitos e gêneros. Pelo que observei, havia mais pessoas entre 18 e 35 anos. Muitos vinham da França, Alemanha, Colômbia, Turquia; árabes em peso, sem falar dos brasileiros – muitos na escola!

Conheça a EC English School Cape Town

Como você avalia o seu aprendizado durante o intercâmbio?

Aprendi muito e com esse intercâmbio e entendi o quão importante é aprender o inglês. Mas, além disso, esse intercâmbio me ensinou a viver, viver fora de casa, fora da minha zona de conforto, longe dos amigos e de tudo que eu gosto. Aprendi a ser mais grata e mais feliz!

“O intercâmbio ensinou o que é o mundo e eu aconselho: FAÇA O SEU. Quero agradecer tudo e todos, inclusive à Descubra o Mundo: sem vocês não teria vivido tudo isso.”

Maria Ioná, 23, intercambista DMI

Intercâmbio em Cape Town, África do Sul
Foto: Maria Ioná Souza/Arquivo Pessoal
Depoimento: EU FUI: Estudar inglês na cidade de Cape Town e outras do mundo

Como chegou até a agência Descubra o Mundo?

Cheguei até a agência Descubra o Mundo em pesquisas na internet, li comentários de pessoas que haviam feito intercâmbio e chequei as redes sociais.

Para você, qual foi o diferencial da Descubra o Mundo?

A princípio estava com receio, pois a Descubra o Mundo é uma agência online. Mas, com o passar do tempo, a equipe me conquistou, pois estavam sempre prontos para tirar minhas dúvidas! Tanto no Brasil quanto fora, eles estavam dispostos a me ajudar. Houve uma situação na África do Sul, na qual estava desesperada. Pedi ajuda, imediatamente tive resposta e uma solução do problema.

Enfim, me senti muito segura viajando com a Descubra o Mundo e super recomendo!

Dicas de Cape Town – Table Mountain
Foto: Maria Ioná Souza/Arquivo Pessoal
Curso de inglês em Cape Town: conheça 3 grandes escolas